quarta-feira, 27 de setembro de 2006

vida

um momento apenas. mas eterno.

sábado, 23 de setembro de 2006

solilóquio

de pijama no sofá da sala, ela pensa na melhor maneira de dizer o não-dito.
ultimamente curtia mesmo os momentos de movies & blackberries. mas agora a angústia de dizer ou não tinha tomado corpo e chegou numa situação insustentável... tinha de fazê-lo. o como é que era o problema.
talvez fosse melhor deixar pra lá e não arriscar tanto. talvez o melhor fosse mesmo esquecer isso tudo. mas já era tarde. não dava mais. o envolvimento crescia a cada dia. e isso era perigoso.

Sara. uma princesa sem príncipe.

terça-feira, 19 de setembro de 2006

das perguntas

que força há nesses braços?
por que necessários?

que força há nessas mãos?
por que cuidadosas?

que força há nesses dedos?
por que receosos?

por que tanta força no silêncio
quando a voz é precisa?

por que não pára e vem
quando está longe e ausente?

perguntas, apenas.
desnecessário respostas...

sábado, 16 de setembro de 2006

9ª letra

Impura
Indecifrada
Imprópria
Invariável
Impossível
Instável
Imoral
Incompatível
Idiota
Insatisfeita
Impraticável
Infeliz
Ímpar
Inviável
Impulsiva
Inadaptada
Ignorante
Indizível
Imatura
Infiel
Imedicável
Indestrinçável
Improporcional
Ilimitada
Incapacitada
Imensurável
Indecorosa
Impedida
Inabitada
Impenetrada
Infiel
Imperativa
Inacabada
Improdutiva
Inacessível
Invulnerável
Incapaz
Imutável
Inútil.

quarta-feira, 13 de setembro de 2006

sobre escravos e senhores

- hoje?!
- é, hoje!
- tem certeza?
- tenho, claro. é hoje...
- mas eu pensei...
- não... você pensou errado. eu já esperava você há tempos. desde os 15 até os 20anos . dizia a todos que você viria quando eu tivesse 20... só que você nunca me apareceu... na verdade, você fazia que ia aparecer e de repente sumia...
- é verdade... acho que era porque não era nosso momento ainda.
- será que não? será que você não ficava meio assim de vir até mim?
- pode ser... acho que sim...
- o que houve? você não apareceu mais... há 4 anos não aparece de frente pra mim, como naquele dia que eu fui atravessar a rua e você estava do outro lado me chamando...
- eu te chamei mas me arrependi... na verdade, não me deixaram encontrar você
- mas eu queria te encontrar!
- é, eu também. mas não deixaram..
(...................................................)
- mas tem certeza mesmo que é hoje? não pode ser amanhã?
- não, não pode! já esperei muito tempo por você, não quero viver mais na expectativa do nosso encontro... tem de ser hoje. ou então você não me aparece mais.
(...................................................................)
- tudo bem. então vamos. já que você insiste...
- ótimo! não agüentava mais viver assim.


e, num tom avermelhado - não, não... vermelho vivo mesmo -, laura foi com ela.

uns dizem que foi crime. outros, suicídio.
mas de uma coisa todos sabem: foi passional.

domingo, 10 de setembro de 2006

have you ever seen the rain?

chuva na cabeça, para limpar a mente.
chuva nos olhos, para curar a vista doente.
chuva nos lábios, para saborear a vida.
chuva nos ombros, para suportar o mundo.
chuva nas mãos, para (d)escrever as tristezas.
chuva na barriga, para alimentar as esperanças.
chuva nas pernas, para sustentar o peso das decepções.
chuva nos pés, para aprender a caminhar.

também amo chuva.
ela traz um quê de transparência às coisas...

terça-feira, 5 de setembro de 2006

artigo definido

a vida.
a voz.
a noite.
a lágrima.
a possibilidade.
a conseqüência.
a consciência.
a insensatez.
a culpa.

o medo.