quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

do real

foi difícil, depois de um dia tão carregado como aquele. os sentimentos já estavam lá, caladinhos, quietinhos...
dormiu. e o sonho veio.
todo mundo feliz, tudo muito bem... mas aquele para quem o amor foi doado de forma tão especial, de início não parecia tão feliz assim... com o tempo, foi se soltando e se entregando. e eles tiveram de novo um momento feliz juntos.

acordou estranho. felizmente estranho...
pensar naquele homem novamente parecia meio bizarro, afinal, já havia negociado consigo mesmo a respeito daquilo...

então saiu de casa com aquela sensação estranhamente gostosa de estar bem.
de repente, ele do outro lado da rua, atravessando em sua direção... então decidiu falar:

- meniiiino!!! sonhei com você hoje!
- foi mesmo? foi o quê?
- er... teve nada demais não... foi um dia normal na tua casa... eu lá, tu a família toda também... um dia feliz.
- ahn... legal.
havia omitido a parte do sonho em que tinham sido felizes. em que a pequena morte os havia atingido...
- foi bom acordar com a sensação de felicidade...
- que bom... tás bem né?
- tô sim. tava meio mal esses dias, mas to melhor... no mais, negociando comigo mesmo certas coisas... e tua vida? vai bem? o doutorado... tranquilo?
- a vida vai bem. tranquila. defendo a tese em dois anos. aproveitar a bolsa até o fim...
- faz bem! er... tô sabendo que tá namorando...
- ah... você não?
- não.
- tá feliz?
- tô bem, tô bem...
- espero, de coração, que vocês sejam felizes. que ele te faça bem. mais do que eu.
- ... olha, tenho que ir... tô meio atrasado.
- tá, tudo bem. tchau.
- tchau.

seguiu estranho.
mansamente estranho.